13 novembro 2006

A Fé Falsa

Do Pr. Franklin Dávila, da lista Cristãos Reformados:

Há uma opinião quase generalizada dos protestantes de que a Religião Falsa está representada na doutrina mórmon, espírita, russelita e principalmente na Igreja Romana.

Temos sido zelosos, e quando nos é possível, não deixamos de discutir, polemizar e até perder a paciência com esses que andam espalhando pelo mundo a sua doutrina. Lutamos contra eles, porque os seus adeptos não são de Deus, servem a si e ao príncipe das trevas e vão para o inferno. Nem de longe queremos nos associar à fé deles.

Esse zelo é bom, revela amor pela Causa, firmeza doutrinária, conhecimento e compromisso com a Escritura. É preciso que seja assim, aliás, deve ser assim mesmo, sempre, sempre.

Acontece que essas religiões não são falsas. Declaradamente elas são, algumas mais outras menos, o oposto da nossa. Qualquer estudioso da Bíblia sabe identificar logo de início as heresias, apostasias e erros dos mais absurdos e pode estabelecer diferenças radicais entre as doutrinas e concluirá que se tratam de doutrinas de homens e de demônios. Elas estão muito longe de nós!

Elas não são religiões falsas? Não, elas não escondem o seu erro, faz parte de sua confissão a mentira e o erro, estão aí, em todo lugar, com suas mensagens e práticas, no mundo todo, para quem quiser ouvir e seguir o seu credo.

E onde está a Religião Falsa? Entre nós, no meio de nós, conosco. Ao nosso lado está cantando, orando, lendo e pregando a Bíblia. Recebendo o Batismo, celebrando a Ceia, participando da comunhão dos santos, dos dons celestiais e dos meios de graça dados por Cristo a seu povo. Esta é a religião falsa!

A Religião Falsa parece com a verdadeira, mas não é. Tem aparência, mas não essência, forma, mas não vida. Atualmente estamos vivendo a realidade da parábola do joio e do trigo. Os trabalhadores dormiram e o inimigo semeou o joio junto ao trigo. O inimigo é o diabo que tem semeado entre nós a falsa religião, o falso cristo, o falso espírito, o falso deus, a falsa doutrina, a falsa fé, os falsos dons, a falsa pregação, o falso pastor, o falso presbítero, o falso diácono, o falso crente, o falso! o falso! o falso! E o resultado de tudo isso aí são os frutos escandalosos, amargos para se digerir, que dóem em nossas entranhas e nauseiam a alma dos verdadeiros religiosos (religados com Deus).

Deus me livre de fazer um julgamento precipitado, mas não posso deixar de dizer que o joio na Religião Verdadeira está maior que o trigo. Que em muitas congregações o número de falsos adoradores tem sido maior do que os verdadeiros adoradores. Que os falsos crentes estão em maior número que os verdadeiros crentes. É visível que a Falsa Religião está representando a Verdadeira. O mundo está vendo e ouvindo a Falsa enquanto a Verdadeira, como Elias, está na caverma, assustada, amedrontada. Digo isto pelo que tem acontecido. Pratica-se de tudo em nossas congregações, da imoralidade a impiedade, da cobiça a desonestidade, da vida liberal e promíscua ao aborto.

Meu Deus! Recordo-me do texto bíblico: "Socorro, Senhor! Porque já não há homens piedosos; desaparecem os fiéis entre os filhos dos homens". Não posso deixar de citar as palavras de Jesus: "quando o filho do homem vier, porventura achará fé na terra?"

Não, a Religião Falsa não está do lado de fora de nossas igrejas. Ela está entre nós!

"Meu Deus, até quando?!"

"Senhor, vem e visita a vinha que tu plantaste".

"Ora, vem Senhor Jesus".

Pr. Franklin Dávila

Um comentário:

brother_costa disse...

Jesus disse que no fim dos tempos seriam dias dificieis, dias angustiosos, dias de fuga, de falsa paz, falsa segurança, falso rumo, falsa fé, falso conhecimento!

E toda essa falcidade esta declarada entre os Cristãos, que na minha opinião são verdadeiros, porém seus Pastores, também estão debaixo da falsa cobertura de espirito. Guiados pela falsa verdade, ou melhor; o falso profeta, o falso cristo!

Emo João 14 diz que o Espirito Santo faria que a verdade fosse lembrada e seguida, e isso não é o que contemplamos... pois as Instituições cristãs, seguem a lei de Moises, a sudita formalidade do antigo testamento, desabonando o sacrificio de Cristo, com tais atitudes. Falta-nos resgatar e usar o verso: sai dela povo meu!
A grande prostituta, apresenta-se nos evangelhos como o destaque da verdadeira igreja de Cristo, ou seja; em 3 graus de generalidade, a igreja o Crente, as igrejas os crentes, e a igreja em sua unidade em Cristo, unica e verdadeira, estabelecida nos 3 poderes, singular, plural e total.

Jesus disse que o evangelho seria a prospectação de seu Reino na terra, conforme relatou Lucas: de Moises a João foi anunciado a lei e os profetas e de João para frente é anunciado o Reino de Cristo. Observamos com isso que as religiões falam muito pouco de Reino de Cristo, dando muita enfase pela lei de Moises e o antigo testamento, ou melhor a antiga aliança, a antiga constituinte, ultrapassada, vencida, envelhecida, conforme destacou o escritou no livro de Hebreus cap 7 e cap 8.

Porque os religiosos seguem com tanta viemência os rudimentos da lei de moises?

fazendo um verdadeiro aumelete entre os livros do antigo e novo Testamento, ocasionando grande confusão e tremenda apostasia.

Se Estevão o Martire, morreu por ter defendido Cristo e o reino, fazendo alusão sólida a Cristo e sua Graça ante Templo, ante autar, ante sacerdotes, ante as leis judaicas, e os Cristões em sua grande maioria continuam matando a Cristo e a Estevão, pois se recusam a defender estes dois homens santos e defensores do Reino.

Se continuarmos defendendo a lei e os profetas, continuamos matando a Cristo e a Estevão, e estaremos debaixo da maudição da lei, e sugeitos a passar pelo diluvio do açoite, conforme relatou Isaias no cap 28.