30 março 2008

E era mesmo piada de mau gosto...

...a história de que canonizaram a Ana Paula Valadão. Um amigo meu, o Fabinho Silvam do blog Raiz Duma Terra Seca, que me chamou a atenção. O suposto site da Folha de São Paulo não bate com o endereço da Folha e, segundo ele, o assunto já foi bem discutido em várias comunidades do Orkut, onde se comprovou a farsa.

Mas, não custava uma nota de desmentido na Internet, custava?

E Meca ultrapassou Roma

O Vaticano reconheceu que hoje há mais muçulmanos no mundo do que católicos. A matéria é da Agência Efe, e você pode conferir clicando aqui.

Segundo o Vaticano, hoje 17,4% dos habitantes do planeta professam a fé católica, contra 19,2% de muçulmanos. Mas, se juntarmos as outras correntes cristãs (ortodoxos, anglicanos e protestantes), o cristianismo ainda é maioria, com cerca de 33%.

Para quem acredita na doutrina da predestinação, como os presbiterianos, os números são relevantes, mas nem tanto. Afinal, acredito que é Deus quem determina o número dos salvos. Mas há alguns pontos a se considerar.

É preciso investir mais na obra missionária em países ou comunidades islâmicas. Em todos os países onde os muçulmanos são maioria, encontramos relatos de perseguições violentas a cristãos. Isso quando o cristianismo não é proibido de ser pregado. Além da salvação, os valores cristãos podem ajudar muito as sociedades islâmicas, em questões como, por exemplo, o papel da mulher.

Também seria interessante analisar de modo mais profundo porque o Islã tem conseguido tantos adeptos. A resposta não é apenas demográfica ou espiritual. Entender qual é o apelo islâmico pode ajudar os cristãos a compreenderem melhor que tipo de questão ou problema os muçulmanos estão respondendo melhor do que nós.

15 março 2008

Finalmente...

A Igreja Universal do Reino de Deus é seita para o Centro Apologético Cristão de Pesquisas!

Se você ainda chama o Edir Macedo de homem de Deus e o defende, clique aqui. Tem uma lista de artigos para você ler...e mudar de opinião.

Problemas com "as igrejas locais"?

Andou conhecendo alguém que te ofereceu o jornal "Árvore da Vida" ou um livro de Witness Lee ou Dong Yu Lan? Recebeu um convite de alguns cristãos para assistir a um culto da igreja em Brasília ou da igreja em Goiânia? Então, vai aí alguns links para você ler antes de entrar nessa onda:

Solascripturatt (escrito pelo Paulo Romeiro, um excelente pesquisador de seitas e heresias)
CACP (esse foi escrito pelo pastor batista Natanael Rinaldi, presidente do Instituto Cristão de Pesquisas)
Resposta do CACP a questionamentos das igrejas locais (também escrito pelo Pr. Natanael).

12 março 2008

Um aceno para Roma

Qual deve ser a relação entre os protestantes e a Igreja Católica Apostólica Romana? Talvez nós devêssemos começar a repensar essa pergunta, por duas razões. Em primeiro lugar, porque os "evangélicos" de hoje já se distanciaram muito de vários princípios da Reforma Protestante. E, em segundo lugar, porque a Igreja Católica de hoje não é a mesma da Idade Média.

Várias práticas condenadas pelos reformadores já encontraram a sua versão gospel. Alguns pastores, bispos e similares já advogam para si um poder maior do que aquele que os padres exercem sobre o rebanho. Se reclamamos que um católico precisa se confessar com um padre para ser perdoado, não podemos esquecer que, em muitas igrejas evangélicas, as pessoas não podem sequer namorar sem antes ter o consentimento de seu discipulador.

Muitas igrejas evangélicas também constróem sua teologia e doutrinas em cima da opinião pessoal de seus líderes ou de supostas revelações. O Sola Scriptura já não é mais a regra. Martinho Lutero indignou-se contra a simonia (a venda de cargos eclesiásticos) e a venda das indulgências (ou seja, a troca do perdão de pecados por dinheiro). Algumas igrejas criaram uma verdadeira "dizimolatria" e sugerem algo muito parecido: a troca de favores espirituais por dinheiro. Até as relíquias dos santos já encontraram o seu correspondente evangélico: rosa ungida, oração no copo d'água, água do Rio Jordão, etc.

Apesar disso, é verdade que a Igreja Católica continua com várias práticas condenáveis do ponto de vista bíblico. As orações aos santos são o problema mais sério, pois são, de fato, idolatria. Orações somente a Deus. O lugar da tradição e do magistério da Igreja também precisariam ser discutidos. Mas as outras questões são periféricas: a autoridade papal (alguns evangélicos já seguiram esse caminho), o uso de imagens (lembre-se que havia imagens de querubins no templo de Jerusalém), a confissão com os padres (biblicamente defensável), a transubstanciação do pão e do vinho (os evangélicos não chegaram a um acordo sobre isso) ou o purgatório (mais leve do que divinas revelações do céu e do inferno).

No entanto, é inegável que há muita coisa a ser aprendida com os católicos romanos, particularmente no Brasil. O trabalho das pastorais, em especial a Pastoral da Criança, é exemplar. Os católicos estão mais atentos aos grandes debates da atualidade do que os evangélicos. Enquanto discutimos bobagens como a última unção do Espírito ou profecias apocalípticas, eles estão na linha de frente dos debates com pesquisas sobre células-tronco e na luta contra o aborto. A nova lista dos pecados capitais ilustra muito bem isso. Podemos até discordar dos posicionamentos católicos, mas eles se posicionam.

Alé, disso, creio que há outros pontos menores a serem observados. A relação entre os católicos e a cultura me parece bem menos doentia e desequilibrada do que as alternativas evangélicas. Os evangélicos constróem versões gospel da cultura mundial, ao passo que os católicos exercem a sua influência na cultura. Os católicos carismáticos estão muito mais empenhados em um uso saudável dos meios de comunicação do que os seus correspondentes evangélicos. A reverência em uma missa católica dá de dez a zero na irreverência dos cultos evangélicos, assim como a devoção. Enquanto as missas, quase às seis da madrugada, do padre Marcelo estão lotadas, nossas igrejas penam para não parecerem vazias às nove horas da manhã, em nossas escolas dominicais.

Muito mais poderia ser aprofundado nessa discussão, que não cabe em um blog. No entanto, creio que é hora de acenarmos para Roma. Ainda não é o momento de apertarmos as mãos, mas não dá mais para dar as costas.

05 março 2008

Espero que seja piada de mau gosto...

Mas, no dia 30 de janeiro, a Folha Online soltou uma matéria dizendo que a Igreja Batista da Lagoinha do Rio de Janeiro canonizou Ana Paula Valadão como a primeira santa evangelica do Brasil.

Duvida? Então clique aqui.

Agora...é preciso reparar em algumas coisas:

1) A Igreja Batista da Lagoinha fica em Belo Horizonte. De duas uma: ou houve erro de reportagem ou foi uma igreja do Rio de Janeiro com o mesmo nome da de Belo Horizonte;

2) A Ana Paula Valadão ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Se for piada de mau gosto, a tal igreja prestou um grande desserviço ao Reino de Deus...está expondo os evangélicos ao ridículo e querendo se promover às custas da Ana Paula.

Agora, se for sério e se a Ana Paula aceitar (ainda que pelo silêncio) o que aconteceu...é motivo mais do que suficiente para que ela seja considerada como uma herege.