03 março 2009

Sexo antes do casamento

Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? E eu, porventura, tomaria os membros de Cristo e os faria membros de meretriz? Absolutamente, não. Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele. Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo. (1 Coríntios 6:15-20)
Talvez a pergunta que mais surja na cabeça de jovens e adolescentes evangélicos é saber se é pecado ou não manter relações sexuais antes do casamento...e qual a base bíblica para isso. Alguns pastores têm ensinado que não há problema algum, mas a maioria, entre os quais eu me incluo, entende que o ensino claro da Bíblia é o de condenar o sexo antes e fora do casamento. As minhas razões seguem abaixo:

1) O lugar apropriado do sexo é o casamento. A oficialização do "casamento" varia conforme o tempo e o lugar. Nos tempos de Isaque e Rebeca, cerca de 1900 a.C, na região do Oriente Médio, isso podia ser feito mediante um acordo entre as famílias. Na sociedade ocidental do século XXI, o casamento é oficializado pelo Estado. (Para presbiterianos, não há casamento religioso, há apenas casamento). Mas, independente destas variantes culturais, a Bíblia identifica sexo e casamento quase que como sinônimos. O "tornar-se uma só carne" é, por razões óbvias, a relação sexual entre homem e mulher. Mas essa expressão é fortemente associada a casamento:
Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. (Gênesis 2:24)

Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro à Cristo e à igreja. Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido. (Efésios 5:31-33)

Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe e unir-se-á a sua mulher, e com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou, não o separe o homem. (Marcos 10:7-9)
Esses textos mostram que, dentro de uma perspectiva bíblica, sexo e casamento são praticamente sinônimos. E esse é exatamente o padrão certo: o sexo deve ser vivenciado no casamento, e deve haver sexo no casamento (pelo menos em circunstâncias normais, quando não há impedimentos médicos). Na verdade, a Bíblia sempre pressupõe que os noivos são virgens:
Mas, se te casares, com isso não pecas; e também, se a virgem se casar; por isso não peca. Ainda assim, tais pessoas sofrerão angústia na carne, e eu quisera poupar-vos. (...) E, assim, quem casa a sua filha virgem faz bem; quem não a casa faz melhor. (1 Coríntios 7:28, 38)

Se um homem casar com uma mulher, e, depois de coabitar com ela, a aborrecer, e lhe atribuir atos vergonhosos, e contra ela divulgar má fama, dizendo: Casei com esta mulher e me cheguei a ela, porém não a achei virgem, então o pai da moça e sua mãe tomarão as provas da virgindade da moça e as levarão aos anciãos da cidade, à porta. (Deuteronômio 22:13-15)
Ou seja, se a mulher (e, por tabela, o homem) não fosse virgem no momento do casamento, alguma coisa estava errada. Um sinal forte de que, tanto no Novo como no Antigo Testamento, o sexo antes do casamento é condenado.

2) O corpo pertence a Deus. Em 1 Coríntios 6:15-20, Paulo faz quatro afirmações nesse sentido: nossos corpos são membros de Cristo, é santuário do Espírito Santo, não somos de nós mesmos e fomos comprados por preço. Em outras palavras, os cristãos não são livres para fazer o que quiserem com os seus corpos, pois eles são santos, "separados para o uso de Deus".

Para entendermos a gravidade dos pecados contra o corpo, talvez seja melhor fazermos uma comparação com o templo de Jerusalém, nos dias do Antigo Testamento. Deitar-se com uma prostituta é o mesmo que trazer uma prostituta para dentro do templo, na presença de Deus. É como misturar a prostituição com o culto ao Senhor. Os filhos de Eli caíram nesse pecado:
Era, porém, Eli já muito velho e ouvia tudo quanto seus filhos faziam a todo o Israel e de como se deitavam com as mulheres que serviam à porta da entrada da tenda da congregação. (1 Samuel 2:22)
E o "prêmio" deles por esse comportamento foi a morte:
Ser-te-à por sinal o que sobrevirá a teus dois filhos, a Hofni e Finéias: ambos morrerão no mesmo dia. (1 Samuel 2:34)
Da mesma forma, entregar o corpo à imoralidade, particularmente indo até à consumação do ato sexual de modo impuro, é como se nós estivéssemos trazendo um monte de ídolos e coisas imundas e colocando isso na Casa de Deus, diante da presença d'Ele!

Ou colocando de outra forma: imagine uma visita entrando na sua casa e começando a depositar sacos de lixo pela sua sala e emporcalhando o seu quarto e a sua cozinha com lama. Você assistiria impassível a essa ofensa? Agora, imagine a nossa falta de temor quando fazemos isso com o templo de Deus. Se nós ficamos furiosos, imaginem o Senhor!

O mesmo pode ser dito de outros pecados contra o corpo, como o uso de drogas e a má alimentação. Se nós somos o templo, então devemos preservá-lo, principalmente conservando a santidade.

3) "Ser uma só carne" é mais que uma união física. Se o corpo pertence ao Senhor, e um cristão se deita com uma meretriz, ele está indo além de uma simples profanação do templo do Espírito. Ele está promovendo uma espécie de união espiritual entre o Senhor e a meretriz. Afinal, quando alguém se une ao Senhor, a união é espiritual (1 Co 6:17). E, em conseqüência, quando ele se deita com a meretriz, ele está fazendo com que os membros de Cristo também sejam da meretriz (1 Co 6:15). Isso fica mais claro quando vemos que a relação sexual (união física) e o casamento são símbolos da união espiritual entre Cristo e a Igreja:
Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. (Efésios 6:28-32)
Para Paulo, há um grande mistério no fato de homem e mulher se tornarem uma só carne. O que ele sabia é que essa união é uma referência ao casamento entre Cristo e a Igreja. E aqui fica um palpite meu: o ato sexual é mais que uma comunhão de corpos, é também uma comunhão de espíritos. Por mais que as pessoas façam sexo de modo casual e descompromissado, é sempre mais que um mero contato físico. Há sim envolvimentos emocionais, expectativas e desejos (conscientes ou não), algum tipo de envolvimento espiritual que nós não conseguimos quantificar. Uma intimidade que só é própria no casamento.

Não se relacionar fora do casamento é uma proteção emocional e espiritual. Evita que façamos apostas altas demais e tenhamos perdas severas e difíceis de reparar. É um sinal do amor de Deus por nós.

4) A Bíblia diz que sexo fora do casamento é pecado. Em 1 Coríntios 6, a Bíblia condena uma forma de "tornar-se uma só carne". Quando o cristão se deita com uma prostituta, isso é apontado como "impureza" (porneia) e "imoralidade" (porneuo) (v.18) (uso como aparece no dicionário, não a expressão flexionada, como está no texto grego). As palavras, segundo a Bíblia Online, significam "prostituir o próprio corpo para a concupiscência de outro, entregar-se a relação sexual ilícita, cometer fornicação, homossexualidade, lesbianismo, sexo com animais, entre outros". A ordem bíblica é clara, devemos fugir da "porneia", o que inclui a fornicação, o sexo fora do casamento. A imoralidade (porneuo) é um pecado que cometemos contra o nosso próprio corpo.

A mesma idéia surge em 1 Tessalonicenses 4:3-8:
Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição (porneia); que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia (epithumia), como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda (hyperbaino) nem defraude (pleonekteo) a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza (akatharsia), e sim para a santificação. Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.
Sonre porneia, já falamos o seu significado. Precisamos esclarecer outras palavras no grego:

* Epithumia = desejo, anelo, anseio, desejo pelo que é proibido, luxúria.
* Hyperbaino = passar sobre, além; transgredir, ultrapassar os limites, errar, pecar (metaf), de alguém que engana outro em negócios, sobressair.
* Pleonekteo = ter mais, ou parte ou porção maior; ser superior, exceder, superar, ter uma vantagem sobre; ganhar ou levar vantagem sobre os outros, superar.
* Akatharsia = impureza física; no sentido moral: impureza proveniente de desejos sexuais, luxuria, vida devassa; impureza de motivos.

Esclarecidos alguns significados, o que o texto de 1 Tessalonicenses 4:3-8 diz? Em primeiro lugar, que a vontade de Deus é que nos abstenhamos, que deixemos de praticar qualquer tipo de relação sexual ilícita, o que inclui o sexo fora do casamento (fornicação). Devemos tratar o corpo de modo santo e honroso, o que exclui até mesmo o desejo de fazer o que é proibido na área sexual. Isso já exclui, por exemplo, a pornografia. Viver "pensando naquilo", ardendo de desejos indevidos é ser como as pessoas que não conhecem a Deus.

E essas idéias não são novas. O Antigo Testamento condenava tanto a prática da fornicação como a maldade do coração, o cobiçar a mulher do próximo:
Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo. (Êxodo 20:17)

Se alguém seduzir qualquer virgem que não estava desposada e se deitar com ela, pagará seu dote e a tomará por mulher. Se o pai dela definitivamente recusar dar-lha, pagará ele em dinheiro conforme o dote das virgens. (Êxodo 22:16-17)
Desta maneira, há uma sólida base bíblica para afirmarmos, sem medo de errar, que o sexo antes do casamento é um pecado.

Mas, e quanto àqueles que já caíram neste erro? A solução aí é confessarmos o nosso pecado ao Senhor e deixá-lo. Como está escrito:
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. (1 João 1:9)
Quando há arrependimento, há a segunda, a terceira e até a enésima chance. Deus não nos abandona e não será por isso que deixaremos de nos casar ou de sermos felizes. O que não podemos fazer é parar de lutar e nos entregarmos ao pecado. Mas, se confiarmos em Deus...Ele nos dará a vitória!

7 comentários:

Daniel. disse...

É incrível que esse assunto precise ser repetido, e repetido, e repetido...

O incrível é que todos os assuntos importantes precisam ser repetidos, e repetidos, e repetidos...

Bom texto.

Marcio Carneiro disse...

Mas não existe nada de novo de baixo do sol. =)

As pessoas sempre são lembradas de seus pecados porque elas sempre fazem questão de esquecer.

E sexo antes do casamento é só mais uma das coisas que as pessoas gostam de esquecer.

Mas Deus não muda. Conhece o coração dos homens e sabe daqueles que esquecem por opção.

BCAS disse...

Excelente texto.
Conseguiu tirar todas as nossas dúvidas a respeito deste assunto tão delicado e difícil de entender, especialmente aos olhos dos jovens.

Deus o abençoe grandemente e prossiga assim.

Bruno e Paula
Líderes dos Jovens
I.B. Favos de Mel - RJ

Helder Nozima disse...

Bruno e Paula,

Obrigado pelo comentário. É bom saber que pude ajudar.

Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro

disse...

Parabéns ao texto, é explicativo, convincente e misericordioso. Parabéns mesmo. Mas eu cheguei aqui porque tenho uma dúvida... Após tornar-me uma carne com uma, duas, três ou quatro mulheres e me arrepender perante Deus, como fica essa "união" não oficial???? E essas mulheres?

Helder Nozima disse...

Zé,

Não acho que o sexo seja sinônimo de "casamento". Se fosse assim, um homem estaria casado com a primeira mulher com quem se deitou, as outras foram adultério e ele deve pedir o perdão da primeira "esposa".

Se fosse enquadrar seria assim:

a) Sexo casual é análogo à prostituição na Bíblia. Só que sem dinheiro, embora exista quem se deite em troca de uma bebida ou algo assim.

b) O sexo dentro do namoro, do noivado ou da união estável é análogo ao concubinato. O NT não abriga mais o concubinato porque o ideal é o casamento.

E casamento é mais do que unir-se sexualmente. Envolve o deixar pai e mãe e o reconhecimento da sociedade também.

Não vejo Deus exigindo dos coríntios que se converteram que buscassem se casar com as primeiras mulheres ou homens com quem se deitaram. E tudo indica que havia muitos coríntios que viviam imoralmente antes de se converterem. Acho que é um bom balizamento.

Quem fornicou e nunca se casou, que se arrependa do pecado e busque um casamento puro. É o que entendo ser a vontade de Deus.

Graça e paz do Senhor,

Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro

Alex Pinheiro disse...

Bom dia,
em primeiro lugar quero-lhe agradecer por este estudo e em segundo fazer lhe uma pergunta.
É certo dizer que o casamento se contrai a partir do ato sexual com a primeira pessoa e as demais relações seria adultério?

Desde já agradeço pela atenção.