27 outubro 2009

Mianmar, China e Irã: campeões da intolerância religiosa

Por que se enfurecem os gentios
E os povos imaginam coisas vãs?
Os reis da terra se levantam,
E os príncipes conspiram
Contra o SENHOR e contra o se Ungido, dizendo:
Rompamos de nós os seus laços
E sacudamos de nós as suas algemas.

Ri-se aquele que habita nos céus;
O Senhor zomba deles.
Na sua ira, a seu tempo lhes há de falar
E no seu furor os confundirá.
Eu, porém, constituí o meu Rei
Sobre o meu santo monte Sião
Proclamarei o decreto do SENHOR:
Ele me disse: Tu és meu Filho,
Eu, hoje, te gerei.
Pede-me, e eu te darei as nações por herança
E as extremidades da terra por tua possessão.
Com vara de ferro tu as regerás
E as despedaçarás como um vaso de oleiro.

Agora, pois, ó reis, sede prudentes;
Deixai-vos advertir, juízes da terra.
Servi ao SENHOR com temor
E alegrai-vos nele com tremor.
Beijai o Filho para que se não irrite
E não pereçais no caminho;
Porque dentro em pouco se lhe inflamará a ira.
Bem-aventurados todos os que nele se refugiam. (Salmo 2:1-12)
A liberdade religiosa ainda é apenas uma expectativa em muitos países. Tanto que há uma missão cristã, a Portas Abertas, especificamente para tratar da perseguição, seja estatal ou social, movida em vários países contra as igrejas evangélicas. Essa missão possui, inclusive, um ranking com as nações onde a perseguição é mais intensa.

Aparentemente, a liberdade religiosa não é um dos assuntos considerados prioritários na diplomacia internacional (Brasil incluído...quando foi a última vez que você ouviu falar de algum protesto brasileiro nesse sentido). Mas, periodicamente, os Estados Unidos divulgam um relatório sobre a liberdade religiosa. No último, Mianmar, China e Irã são apontados como os campeões da intolerância religiosa. Venezuela e Cuba também ganham "menções honrosas" no assunto aqui na América Latina.

É de se lamentar que, em pleno século XXI, a liberdade religiosa ainda seja uma ficção em boa parte do mundo. Mas, biblicamente falando, é previsível.

O Salmo 2 começa descrevendo a realidade das nações. Reis e príncipes (hoje chefes de Estado e de Governo) sempre conspiram contra Deus. O desejo íntimo dos países é escapar do governo de Cristo, "romper laços" e "sacudir algemas". Para a ampla maioria dos reinos, repúblicas e ditaduras, servir a Cristo é uma prisão ou escravidão. Daí, é natural a intolerância religiosa.

Mas a Bíblia diz que Deus ri dessas pretensões. Deus está apenas aguardando o tempo para manifestar a Sua ira e furor para falar às nações e confundi-las. O Senhor ri porque o Rei das Nações já está constituído e não será derrubado.

Sim, de fato, Cristo pediu e terá todas as nações como Sua herança e possessão. Jesus reina, e reinará visivelmente, sobre todos os países. Os "reis" que se opõem a Ele sentirão o toque da vara de ferro e serão quebrados. Sim, Jesus reinará sobre Mianmar, China, Irã, Coréia do Norte, Arábia Saudita, Brasil, Estados Unidos e todo o mundo. E essa palavra é um consolo para todos os cristãos humilhados e perseguidos no mundo.

E aos chefes de Estado e Governo do mundo (ouviu, Lula?), segue o conselho do salmista. Sejam prudentes. Deixem que Cristo os advirta. Sirvam ao Senhor, alegrem-se em Cristo, beijem o Rei dos Reis. Façam as pazes com Ele, antes que chegue o dia em que Ele derrame sua ira sobre todos os povos.

Nenhum comentário: