19 janeiro 2010

Última resposta a Leandro Quadros - Parte XI

A parte anterior da resposta está aqui.


1 Timóteo 2:3-4
Como já disse antes, um dos erros de interpretação mais comuns é querer ver no texto mais do que ele, efetivamente, afirma. É o que acontece com muitos não-calvinistas ao interpretar 1 Timóteo 2:3-4. Para resolver o problema, amplio o texto e colo 1 Timóteo 2:1-6:
Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Medidador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos.(1 Tm 2:1-6)
Qual a interpretação bíblica correta desta passagem? Em primeiro lugar, repare que Paulo começa falando que devemos orar em favor de todos os homens. Mas, ao especificar que "todos" seria esse, ele se refere a uma classe de pessoas, os reis e os que foram investidos de autoridade. Não é preciso fazer orações para os 6 bilhões de seres humanos que habitam a Terra, mas sim em favor de todos os tipos de pessoas. Logo, se levarmos em consideração o contexto próximo, o "todos" do versículo 4 e do versículo 6 deve ser considerado "todos os tipos de gente". Isso já resolve a questão, até porque a Bíblia não pode se contradizer, e ela ensina, claramente, que Jesus não morreu por todas as pessoas (quem quiser se aprofundar, tratei dessa questão em outro blog. O texto pode ser lido aqui).

Em segundo lugar, Deus deseja, não é dito que Deus salva, predestina ou dá a todos a oportunidade de escolherem a salvação. Isso já havia sido apontado por mim no artigo "Resposta ao Professor Leandro Quadros - "Na mira da verdade":
17) Sobre Deus desejar que todos os homens sejam salvos (1 Timóteo 2:4), desejar não é sinônimo de predestinar, nem de deu possibilidade para que todos sejam salvos. Desejar é só desejar, o versículo não derruba um único ponto calvinista. Todo arminiano enxerga demais em um desejo...como se desejo fosse sinônimo de plano ou de ter que abrir uma possibilidade.
Contudo, o professor Leandro Quadros, em 48 textos bíblicos contra 12 descontextualizados... afirma:
17) O pastor disse que “desejar não é sinônimo de predestinar”. Então, está me insinuando que o desejo do Deus Soberano está subordinado à própria Onisciência dEle?” Que conceito é esse? Por que explicar novamente o que já está explicado em 1 Timóteo 2:4? Se Deus só deseja salvar todos e ao mesmo tempo predestina uns para a perdição, isso é o mesmo que ensinar que Deus tem “dupla personalidade”. Deus é Absoluto: não tem como separar os desejos dEle de Suas ordens e ações.
Há aí uma conseqüência que o professor, talvez, não tenha pensado ao escrever este texto. Se não há como separar o desejo de Deus de suas ações, ou, em outras palavras, se Deus tem que fazer tudo o que deseja, então todos os homens são salvos! Sim, não há porque pregar o Evangelho a ninguém, afinal, independente de como as pessoas reagirem diante de Deus, elas não serão condenadas, porque, como Deus deseja, Ele é obrigado a salvar a todas elas! A grande implicação disso é a de que o inferno não existe nessa visão. Eis aí a conseqüência lógica do ensino do professor Leandro.

Que Deus não faz tudo o que deseja é indicado quando combinamos 1 Timoteo 2:4 com outros textos, tais como Mateus 7:13-14:
Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porqu estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. (Mateus 7:13-14)
Sim, professor, Deus deseja que todos os homens sejam salvos, mas Jesus afirma que poucos são os que, efetivamente, andarão no caminho da vida. Veja, portanto, que Deus age de modo diferente de Seu desejo. A não ser que o senhor queira me dizer que Jesus estava enganado.

E por que então Deus não salva a todos? Simples: Deus tem um desejo maior e mais forte que o de salvar as pessoas: mostrar a Sua glória. Em nome de um desejo maior, o Senhor não executa o seu desejo menor de salvar a todos os homens (isso supondo que 1 Tm 2:4 se refira a todas as pessoas da Terra, uma interpretação com a qual discordo por razões apresentadas no início desse post).

As razões pelas quais o Senhor predestinou uns para a salvação, e outros para a perdição, estão em Romanos 9:22-24:
Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição, a fim de que também desse a conhecer as riquezas de sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão, os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios? (Romanos 9:22-24)
Alguns são salvos e outros condenados porque:

1) Deus queria mostrar a Sua ira. Ele não poderia fazer isso sem condenar pessoas. Aliás, sem culpados, a justiça e a ira divinas (que são atributos perfeitos de Deus, segundo a Bíblia) jamais seriam manifestas de modo pleno, daí a necessidade de predestinados à perdição.

2) Deus queria mostrar o Seu poder. Tanto a salvação dos eleitos, vencendo a morte e o diabo, como a existência do inferno mostram como Deus é Poderoso.

3) Deus queria mostrar a riqueza da Sua glória em vasos de misericórdia. O amor de Deus só poderia ser pleno se Ele amasse a pessoas que não são dignas desse amor. A misericórdia só é possível se houver pessoas que não a mereçam, caso contrário, Deus estaria apenas dando a cada um o que lhe é devido.

A princípio, esses motivos podem parecer mesquinhos a alguns. Afinal, em resumo, Deus tem um desejo maior em mostrar todos os Seus atributos de forma máxima, incluindo-se aí ira e justiça, do que em salvar a todas as pessoas.

Isso nos parece errado apenas porque estamos acostumados a pensar que o objetivo máximo de Deus é a felicidade dos seres humanos, como se o centro do Universo fôssemos nós. Mas isso está errado. O objetivo supremo de Deus é a glória d'Ele, e não a glória ou bem-estar humanos:
Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém! (Romanos 11:36)
Deus criou todas as coisas, inclusive os seres humanos, para Ele mesmo, para usufruto e benefício divinos. Trato mais disso em outro post.

Logo, não é que o desejo de Deus esteja subordinado à sua onisciência, como entendeu, erroneamente, o professor Quadros. Na verdade, Deus sabe de todas as coisas porque, antes delas existirem, Ele decretou tudo o que aconteceria. E, ao decretar, Deus decretou o que quis, priorizando os desejos que Lhe pareceram melhores.

E sobre o conflito de desejos, isso é perfeitamente explicável. Uma pessoa pode, por exemplo, desejar agredir alguém que o tenha agredido. Mas ela pode escolher não revidar, porque o desejo dela de agradar a Deus é maior do que o de fazer com justiça com as próprias mãos. Assim como isso não indica dupla personalidade nos seres humanos, também não indica em Deus.

A série de respostas continua, mas sem o vigor de antes, até porque confesso que o assunto me cansou. Mas vou terminar a série, talvez intercalando com outros assuntos.

Louvado seja o Senhor, que faz todas as coisas para a Sua glória! Amém!

O próximo post está aqui.

6 comentários:

Clóvis disse...

Helder,

É uma pena que o professor tenha manifestado interesse em abandonar a peleia, depois de muitas bravatas.

Gostaria de ver o que ele iria contra-argumentar. Mais provavelmente iria apenas despejar mais 48 versículos descontextualizados.

Em Cristo,

Clóvis

JOSÉ RENATO DOS REIS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helder Nozima disse...

José Renato,

Usar só a Bíblia distorcendo o que ela diz ou sem entender o que está escrito...não adianta em nada.

Nos meus posts, aliás, você vê farto material bíblico, com minha fundamentação lógica sobre o assunto.

Agora, se você acha que sigo o caminho do diabo...recomendo que estude um pouco mais de lógica e de hermenêutica. Aliás, da próxima vez, escreva um comentário mais claro e menos confuso. Não precisa ser prolixo, vá direto ao ponto. Assim ganha você (em força argumentativa) e ganho eu (que perco menos tempo).

Graça e paz do Senhor,

Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro

Helder Nozima disse...

José Renato,

Só publicarei seus comentários se eles se ativerem ao tema do post e forem pertinentes. Não vou publicar comentários gigantescos com resumos da doutrina adventista, falando de assuntos que não foram tratados aqui. Se quiser fazer propaganda da Igreja Adventista, por favor, faça em seu blog.

JOSÉ RENATO DOS REIS disse...

Eu ja sabia dos intereses do irmão, somente aquilo que lhe agrada pode ser postado
siceramente estou entristecido com o fato.
por getileza so for possivel tire meu primeiro comentario do seu blog porque deixa meio obscuro o que relamente queria tratar.
nem por isso deixo de ama-lo .

Helder Nozima disse...

José Renato,

Se quiser, você mesmo pode deletar os seus comentários. Só procurar a lixeira.

Quanto à sua "acusação", apenas reitero o que disse antes. Exposições enormes da doutrina adventista, abordando vários pontos que sequer foram tocados no post...o meu blog não é espaço gratuito de propaganda adventista. Você pode fazer isso no seu blog.