27 maio 2010

Última resposta a Leandro Quadros - Parte XII

A parte anterior da resposta está aqui.

Começo este texto com um pedido de desculpas pela demora em continuar essa refutação. Mas realmente essa série acabou se revelando maçante para mim e outros leitores. Contudo, dívida é dívida...vamos continuar a refutação do artigo 48 textos bíblicos contra 12 descontextualizados..., do professor adventista Leandro Quadros, que é a resposta dele ao artigo Resposta ao Professor Leandro Quadros - "Na mira da verdade".

João 3:36
Diz o professor Leandro Quadros sobre João 3:36:
18) Aqui o irmão fugiu dos aspectos textuais que abordei. Peço que os releia novamente. Para facilitar, transcrevo:
“Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”
“Que coerência há em Deus predestinar alguns para a perdição sendo que há a possibilidade clara de uma pessoa se manter rebelde? É claro que o “se manter rebelde” é uma atitude humana diante da predestinação Divina.
“Outro detalhe: na expressão “quem crê no Filho” não há a mínima hipótese de fazer uma “eisegese” e dizer que o texto não se aplica a todos.”
João 3:36 não compartilha de sua ideia, de que quem se mantém rebelde é porque foi predestinado para isso, pois, seria afirmar ser Deus o autor do pecado e das decisões erradas dos pecadores. Mesmo crendo de coração na sinceridade sua e demais irmãos calvinistas, cada vez mais me conscientizo de que a predestinação determinista é diabólica por denegrir o caráter de Deus e limitá-Lo a própria Onisciência dEle.

Já expliquei antes aqui uma simples regra de hermenêutica, ignorada pelo professor e por muitos não-calvinistas. Se a Bíblia ensina duas verdades aparentemente contraditórias, as duas devem ser afirmadas igualmente. Uma conciliação em que a verdade A suplanta a B é um erro de interpretação bíblica. Quem quiser, explico melhor aqui.

A Bíblia ensina duas verdades de difícil conciliação:

- Deus decreta e determina todas as coisas e escolhe aqueles que serão salvos e os que serão condenados.
- As pessoas são condenadas porque, voluntariamente, se mantém rebeldes a Deus.

O erro é entender que ou Deus endurece o coração dos condenados ou o condenado escolhe, por vontade própria, a condenação. O que acontece é que tanto Deus endurece o coração humano como o pecador, voluntariamente, se rebela contra Deus: Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés:
Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia. Porque a Escritura diz a Faraó: Para isto mesmo te levantei, para mostrar em ti o meu poder e para que o meu nome seja anunciado por toda a terra. Logo, tem ele misericórdia de quem quer e também endurece a quem lhe apraz. (Romanos 9:14-18)

A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. (Romanos 1:18-23)
No mesmo livro, as duas verdades são ensinadas. Logo, isso deve estar em mente quando analisamos João 3:36.

O erro do professor Quadros é exatamente o de sacrificar uma verdade em detrimento da outra em sua análise. Como os reformados interpretam João 3:36?

- De fato: todas as pessoas que creem no Filho de Deus têm a vida.
- Só que, à luz de outros textos, entendemos que apenas creem aqueles que são predestinados, alcançados pela misericórdia de Deus.
- De fato: todos os que se mantêm rebeldes contra o Filho de Deus não verão a vida, e sentirão a ira divina.
- Só que, à luz de outros textos, entendemos que esses são todos reprovados por Deus para a salvação antes da fundação do mundo.

Diz o professor:
“Que coerência há em Deus predestinar alguns para a perdição sendo que há a possibilidade clara de uma pessoa se manter rebelde? É claro que o “se manter rebelde” é uma atitude humana diante da predestinação Divina.
Respondo eu:

1) Tanto a pessoa se mantém rebelde como Deus a predestina à perdição. Simples, não? E bíblico também.
2) O professor Leandro Quadros acredita que todos são predestinados à salvação. Por isso, ele diz que se manter rebelde é uma atitude humana contra à predestinação divina. Aí sou quem pergunto:

- Qual o sentido de Deus pré-destinar alguém se a destinação depende da reação da pessoa? Aí não seria predestinação, seria pós-destinação...erro de português, de lógica e de teologia.
- Como fica Romanos 9:14-18 onde Deus diz claramente que têm misericórdia de uns (eleitos para a salvação) e endurece aos outros (predestinados à perdição)?

Mas Quadros continua:
“Outro detalhe: na expressão “quem crê no Filho” não há a mínima hipótese de fazer uma “eisegese” e dizer que o texto não se aplica a todos.”
Sim, professor, se aplica a todos os homens. Todos os que creem são salvos. Perfeito! O senhor só esqueceu que todos eles, sem exceção, são predestinados também. Todos eles, e somente eles.

Para fechar, Quadros afirma:
João 3:36 não compartilha de sua ideia, de que quem se mantém rebelde é porque foi predestinado para isso, pois, seria afirmar ser Deus o autor do pecado e das decisões erradas dos pecadores. Mesmo crendo de coração na sinceridade sua e demais irmãos calvinistas, cada vez mais me conscientizo de que a predestinação determinista é diabólica por denegrir o caráter de Deus e limitá-Lo a própria Onisciência dEle.
Sobre Deus e o pecado, recomendo o texto Deus decreta pecados? que pode ser lido neste blog. Quanto ao determinismo da predestinação, ela não anula a onisciência divina. Deus sabe de tudo, claro, porque Ele decretou tudo o que vai acontecer. E, sim, claro, Deus conhece todos os cenários possíveis e impossíveis para o desenvolvimento da História. A predestinação não diminui um milímetro da onisciência divina.

Agora, o ponto de vista defendido por Quadros é que diminui...a onipotência e a soberania divinas. Deus não é alguém que reage aos acontecimentos. Ele usa ativamente o Seu poder, quando Lhe convém, para controlar tudo o que acontece.

Ainda tem mais. Aguardem.

O próximo post está aqui.

6 comentários:

Heitor Alves disse...

Helder,

O Blog dos Eleitos indicou seu blog como um dos melhores blogs cristãos calvinistas.

Abraços.

Karina disse...

Pastor Helder se eu for levar a sério o que o Sr. diz prefiro não acreditar mais em Deus, porque para pre-destinar alguém a perdição é muita maldade... Meu Deus não é assim, Ele é um Deus de amor que dá chance igualmente a todos.

maybe disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Vandim disse...

Assisti o programa do professor Leandro e achei um formato perigoso para se abordar os ensinos da Bíblia.
Creio que o principal problema é o método apologético dos textos provas que ele usa, principalmente quando os questionamentos se intensificam.
Ele faz o seguinte: 1º. Responde as questões com uma declaração incisiva, sempre em concordância com os ensinos atuais e oficiais da sua igreja (que ele nunca questiona). 2º. Cita muitos textos bíblicos desconsiderando seus contextos e gêneros literários para provar a declaração já feita. 3º. Quanto aos textos que contradizem (ou aparentam contradizer) sua posição; ele lembra: “a Bíblia não se contradiz” e “já vimos nos textos anteriores que não é assim”. Então ele usa a exegese para diminuir a força dos desses textos, dizendo que eles tratam de outro assunto.
Isso passa para a pessoa que está assistindo que o professor está expondo os ensinos bíblicos sobre o tema.
O uso do método texto prova é um problema histórico no adventismo, por isso alguns eruditos, ao conhecerem mais profundamente a exegese acabaram abandonando certas crenças que os adventistas consideram fundamentais.
Confira: http://en.wikipedia.org/wiki/Seventh-day_Adventist_Commentary_Reference_Series

Fé pela Razão disse...

O "professor" Leandro Quadros, não passa de uma figura sem caráter. Sou Espírita, e, embora saiba que a maioria das religiões tradicionais não aceitam a doutrina, o que é um sagrado direito de cada um, ela tem o direito de existir e, ser criticada se a pessoa assim achar.
Porém, esse sujeito, posta artigos em seu site, "na mira da verdade" e também nos blogs dos adventistas, criticando e dizendo que a Bíblia condena.
Bem, é um direito dele achar assim, porém, acho que é um direito meu também defendê-la.
Acontece, que cada vez que eu posto um comentário refutando os artigos dele, ele deleta. Ou seja, critica mas não tem coragem de aceitar um debate para que eu também possa expor minha defesa.
Coisa de gente sem moral, que acredita nas profecias furadas da senhora Ellen White, a Mãe Dinah dos tempos antigos.
Obrigado pelo espaço
Franco

Chrystian disse...

Somos todos irmãos aos olhos de Deus e vocês discutem entre si falando que o outro está errado... Se acham tão iluminados e donos da verdade?

A Bíblia é formada por letras, palavras, frases... Sujeita a diversas alterações, de tradução e de interpretação por quem as lê! Quem vos disse que está correto o que interpretaram ou o que Quadros interpretou?