11 março 2011

Israel, árabes e a família de Deus

A partir de hoje, vou começar a publicar algumas traduções no Reforma e Carisma. Para isso, conto com uma nova colaboradora, a Kamylla Araújo. A primeira é de John Piper. O original está aqui.

No último sábado eu conheci um cristão árabe que estava visitando a nossa igreja. De uma maneira bastante respeitável, ele derramou seu coração no que diz respeito à situação das pessoas no Oriente Médio e a sua tristeza com pastores cristãos americanos que nunca se referem, de maneira positiva, aos cristãos árabes.

A sua percepeção é que cristãos na América (EUA) dão carta branca no apoio a Israel. Nenhuma injustiça  contra palestinos ou cristãos árabes espalhados pelo mundo parece surtir efeito nos púlpitos americanos.
Então eu pensei que seria bom afirmar publicamente algumas posições que acredito que a Bíblia ordena:
John Piper

1. Verdadeiros cristãos são, primeiramente, cidadãos do Reino de Jesus Cristo, e em segundo lugar, cidadãos de qualquer país ou nação do mundo.

2. Verdadeiros cristãos são mais chegados entre si como irmãos em Cristo que nós em qualquer outro laço de família ou pátria terrena.

3. Cristãos americanos são mais unidos a cristãos palestinos, cristãos árabes, e cristãos judeus em toda parte do mundo do que ao estado não cristão de Israel.

4. Israel foi escolhido por Deus, entre todos os povos do mundo para ser o foco de uma bênção especial na história da redenção, que teve seu clímax em Jesus, o Messias. “Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra.”

5. Deus prometeu a Israel a presente terra de conflitos desde o tempo de Abraão. Deus disse a Moisés, “E disse-lhe o SENHOR: Esta é a terra que jurei a Abraão, Isaque, e Jacó, dizendo: Å tua descendência a darei; eu te faço vê-la com os teus olhos, porém lá não passarás.” (Deuteronômio 34:4).

6. Israel, como todas as nações da Terra, inclusive os estados árabes, não reconhecem Jesus como o Messias. Deus e Salvador, e é, portanto, um povo fora da aliança de Deus. Rejeitar o Filho de Deus é rebelar-se contra o Deus da aliança
.
7. Um povo fora da aliança – Judeu ou Árabe – não possui direito divino de dominar a terra prometida enquanto estiver em rebelião contra Deus que a prometeu para um povo obediente. “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.” (Êxodo 19:5).

8. Isso não significa que outras nações têm o direito de molestar Israel, nem Israel de molestar seus vizinhos. Israel e as nações vizinhas dispõem os direitos humanos entre as nações, embora eles não têm o direito divino de reivindicar a terra, rejeitando o Messias.

9. Deus tem planos de salvação para a etnia de Israel (Romanos 11:25-26), e os tem também para as nações árabes (Isaías 19:19-25; Salmos 22:27; Mateus 28:19-20; Romanos 3:29-30).

10. A súplica cristã no Oriente Médio para os palestinos e judeus é: "Crê no Senhor Jesus e serás salvo"(Atos 16:31). Este é o caminho para a paz. "Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio.”(Efésios 2:14).

11. Até o grande dia, quando ambos, judeus e gentios seguidores do Rei Jesus, herdarão a Terra (incluindo a terra prometida), sem levantar espada ou arma, os direitos das nações devem ser decididos por princípios de justiça compassiva e pública, e não apelando por direitos ou status divino.

12. Portanto, todos os cristãos, especialmente os pastores cristãos, devem falar abertamente e com alegria da nossa união com os cristãos árabes e judeus, e não devem classificar o apoio político para Israel ou para qualquer país árabe acima do nosso apoio aos irmãos crentes.

Um comentário:

Anayran ou Ogg disse...

John Piper, começou MUITO bem!

E texto muito bom!

Poste algo sobre a tragédia do Japão. E se pararmos para perceber, por que todo começo do ano tem tido um terremoto que destrói alguma cidade do planeta? O que Deus quer nos mostrar com isso além de mostrar que está exercendo sua perfeita glória e justiça?

Abraços, Nozima (e agora Kamylla também!)! =)