03 março 2011

Ô, língua!!!!

Nós vivemos com a ilusão de que "pequenos pecados" não fazem mal a ninguém. Qual o problema em se contar uma mentirinha "branca" ou uma fofoquinha? Quando cristãos emitem julgamentos severos sobre o pecado, aí sim é que ninguém dá bola mesmo.

Afinal, qual o problema em dizer uns xingamentos, né? Bom, faça esta pergunta ao estilista John Galliano. Por causa de uma discussão em um bar, ele perdeu o emprego e vai até ser julgado pela Justiça francesa. Quem diria, hein? Bom, a Bíblia diria:
Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo.

Ora, se pomos freio na boca dos cavalos, para nos obedecerem, também lhes dirigimos o corpo inteiro. Observai, igualmente, os navios que, sendo tão grandes e batidos de rijos ventos, por um pequeníssimo leme são dirigidos para onde queira o impulso do timoneiro. Assim, também a língua, pequeno órgão, se gaba de grandes coisas. Vede como uma fagulha põe em brasas tão grande selva!

Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno. Pois toda espécie de feras, de aves, de répteis e de seres marinhos se doma e tem sido domada pelo gênero humano; a língua, porém, nenhum dos homens é capaz de domar; é mal incontido, carregado de veneno mortífero.

Com ela, bendizemos ao Senhor e Pai; também, com ela, amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma só boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não é conveniente que estas coisas sejam assim.

Acaso, pode a fonte jorrar do mesmo lugar o que é doce e o que é amargoso? Acaso, meus irmãos, pode a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Tampouco fonte de água salgada pode dar água doce. (Tiago 3:1-12)
Todos somos Galliano
A Bíblia sempre recomenda uma certa moderação quanto ao conceito que temos de nós mesmos. Ninguém, nem mesmo estilistas famosos, deve pensar que é um grande mestre. Ao contrário, todos precisam se lembrar de que tropeçam...em muitas coisas.

E um ótimo exemplo disso é o falar. Todos já sentiram remorsos por alguma declaração ou fofoca infeliz. Todos já sofreram com a língua maldosa de outra pessoa. E, por causa disso, ofensas e preconceitos se perpetuam, pessoas se sentem inferiores, relacionamentos acabam (inclusive dentro de famílias), feridas se abrem e não são esquecidas...e até mesmo mortes acontecem.

O que John Galliano fez é horrível. O racismo nunca pode ser tolerado e ele deve sim responder por sua declaração. Na verdade, ele irá responder por ela não apenas diante das cortes francesas, ele também será julgado por Deus.

Mas, sendo honesto, todos nós já cometemos erros iguais ou piores aos dele. Se não fomos filmados pelos homens, fomos vistos pelo Senhor. Se Galliano perdeu o emprego, nós corremos o risco de perder a vida. O juízo de Deus, mesmo para os pecadinhos, é a morte:
porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Romanos 6:23)
O pecado mata
Sim, é isso mesmo o que você leu. Não importa o tamanho do pecado: o pagamento que Deus nos dá por ele é a morte. É por esta razão que Deus permite que pessoas morram, adoeçam, sofram acidentes, nasçam com deficiências...tudo isso é Deus pagando o justo salário que nossos pecados merecem. E, caso elas não se voltem para o Senhor, a morte continua após a morte...no inferno.

Pode até parecer absurdo um castigo tão grande para erros tão "pequenos". Mas é só ver as consequências que certos pecadinhos podem ter que começamos a ver de modo diferente. No caso da língua, Tiago diz que ela põe em chamas "toda a carreira humana" e é carregada de veneno mortífero. E é só ver uma novela qualquer para saber como uma intriga pode, de fato, causar morte e destruição.

Galliano perdeu a credibilidade por causa do que disse. Perdeu o emprego. Vai ter que responder na Justiça. Mas ele não é o único a pagar pela língua. O prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, pode responder a um processo de impeachment por ter mandado uma moradora morrer. Declarações infelizes podem ter impedido que o professor Emir Sader assumisse a presidência da Casa de Rui Barbosa. Pecados, ainda que pequenos, sempre trazem a morte consigo.

Não pode ser assim
A conclusão de Tiago é simples, mas imensamente difícil: não é conveniente que seja assim. A língua não deve ser uma fonte de onde brotam louvores ao Senhor e maldições, fonte de água doce e amarga. Ela não pode ser um órgão que provoca incêndios e destruição. O problema é que, se alguém consegue domar a língua, esse alguém é perfeito e pode refrear a tudo. Dito de outra forma, é alguém que não peca.

E só houve uma pessoa que conseguiu isso: Jesus Cristo. Dele se diz:
Eis aqui o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Farei repousar sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará juízo aos gentios. Não contenderá, nem gritará, nem alguém ouvirá nas praças a sua voz. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará a torcida que fumega, até que faça vencedor o juízo. E, no seu nome, esperarão os gentios.(Mateus 12:18-21)

Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. (Hebreus 4:15)
Jesus foi o único que conseguiu refrear a língua. Quando Ele foi duro, era porque tinha que ser. Ele não dizia palavras impensadas, não ofendia as pessoas, não ficava discutindo em alta voz nas praças. Ele venceu os perigos da língua.

Assim como Jesus venceu os pecados em seus dias aqui na terra, Ele também vence hoje os pecados que cometemos. É verdade que não podemos voltar atrás naquilo que já dissemos. Não podemos anular todas as consequências de nossas palavras pecaminosas. Mas em Cristo podemos alcançar perdão e a graça necessária para vencermos o pecado.
Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição, sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos, sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus. (Romanos 6:5-11)
Volte-se para Jesus. Nele você pode encontrar não só o perdão para todos os seus pecados, mas também a graça para vencê-los. Ele veio para destruir o nosso corpo de pecado, incluindo a nossa língua grande.

Graça e paz do Senhor,

Helder Nozima
Barro nas mãos do Oleiro

Um comentário:

Anayran ou Ogg disse...

É bem difícil controlar a língua... Acho que uma das coisas mais difíceis de se controlar no nosso corpo. Mas graças a Deus, temos o poder e a graça dele para nos ajudar em tal tarefa.

Post batuta!!!

Abraços, meu caro!